Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará

Startup ajuda pessoas com deficiência desempregadas durante a pandemia

'Incluir Dá Certo' prepara gratuitamente profissionais para o mercado de trabalho, de olho nas contratações após a crise causada pelo coronavírus


A startup Incluir Dá Certo, consultoria especializada na inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, lançou um serviço online e gratuito de orientação e preparação de profissionais com deficiência durante a pandemia da covid-19.

O aconselhamento tem dois meses de duração, com encontros virtuais semanais. Antes de iniciar as conversas, o inscrito preenche um formulário indicando sua necessidade de acessibilidade. O projeto tem intérprete de Libras, a Língua Brasileira de Sinais, que estuda o perfil do orientado e usa as terminologias mais indicadas ao orientado.

“Diante da atual situação, temos ciência de que os próximos dois meses serão períodos de privações. Sendo assim, pensamos em uma forma de amenizar a ansiedade desses profissionais, que buscam continuamente uma recolocação no mercado de trabalho”, diz Renata Lellis, idealizadora da startup Incluir Dá Certo e do canal Inclusão na Lata.

Renata faz um inventário da carreira do profissional, analista e reformula o currículo e o do perfil no Linkedin, dá dicas, simula entrevistas online e destaca a função do networking. O programa busca construir e direcionar a carreira, preparando para o momento da retomada. “Recebemos mensagens diárias de candidatos desempregados”, afirma a consultora.

Parceiros – Empresas interessadas podem apadrinhar candidatos e, em troca, terão acesso ao perfil profissional de todos os mentorados. Para saber os detalhes, mande email para lellis@incluirdacerto.com.br.

Solidariedade – “Em uma das conversas, a orientada disse ‘minha mãe e eu dormimos mais cedo para não sentir fome’. Naquele momento, eu parei de falar sobre currículo e mercado de trabalho. E pedi para contar a história dela. Pouco antes de revelar isso, essa mulher comentou que fazia trabalho voluntário e distribuía comida para moradores de rua, mas que nesse momento não tinha como ajudar, e que solicitou o auxílio emergencial, ainda em análise, situação de muitos brasileiros”, comenta a especialista.

Após esse relato, a startup passou a organizar uma arrecadação de recursos para enviar alimentos, produtos de limpeza, higiene e remédios aos profissionais com deficiência desempregados (clique aqui para colaborar).

Notícias relacionadas

Deixe um comentário