Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará

As regras ‘de ouro’ para vender (qualquer) ideia no trabalho

Exame

A inovação é uma das palavras de ordem no mercado profissional. Mas não vale ficar só na abstração, a capacidade de materializar boas ideias é uma habilidade das mais buscadas pelos recrutadores nos candidatos a oportunidades profissionais.

Mas o que muita gente pensa é que é só um toque de genialidade é capaz de produzir ideias que sejam bem aceitas pelos chefes e se transformem em realidade nas empresas. Errado, dizem os especialistas. “Não é a originalidade e o brilho da ideia que mais contam nesta hora, é a pertinência dela”, diz Marie-Josette Brauer, presidente-fundadora do Innovation Coaching Center.

O que ocorre é que até a mais brilhante e genial das ideias precisa ser “lapidada” antes de chegar à mesa do chefe. A preparação até a apresentação desta ideia faz toda a diferença entre o sucesso ou fracasso dela. Pensando nisso, Exame.com organizou, com a ajuda de especialistas, um roteiro com o passo a passo desde o insight até a sua apresentação para aumentar a chances de ela ser bem recebida. Confira:

1º Passo Amadureça a ideia

“Grande segredo é a preparação”, diz Marie-Josette. Assim que surgir a ideia, anote-a no primeiro pedaço de papel que encontrar. Não tenha pressa, não queira que ela nasça pronta. Você teve um insight e é hora trabalhar nele.

A primeira atitude é pensar se é algo pertinente. “Faça o papel de advogado do diabo, e comece a fazer uma leve pesquisa com colegas de trabalho mais próximos”, recomenda Marie-Josette. Converse de maneira informal com pessoas da sua confiança no trabalho.

“Solte pequenas frases a respeito do tema do qual surgiu a ideia, não fale especificamente sobre a ideia, e veja como ele reagem”, diz Marie-Josette. Com isso você verá se está no caminho certo, se o que você está pensando em propor é pertinente ou não.

2º Passo Raciocínio em termos de vantagens e benefícios e preparação das estratégias

Parta para a etapa de organização de argumentos e antecipe as objeções a sua ideia. “É preciso listar as forças e as fraquezas”, diz Marie Josette. Enumere as vantagens ( otimização de algum processo, ganho de tempo, por exemplo) e benefícios ( 50% de aumento da produtividade, por exemplo).

Para a professora de MBA e consultora de negócios Patrícia Rocha, se for possível monte uma apresentação com recursos visuais elaborados. “Podem ser slides com tópicos, gráficos simples e imagens para fortalecer o entendimento das coisas”, diz Patrícia.

A apresentação, lembra Patrícia, precisa ser abrangente e deve conter justificativa e objetivos da ideia – no começo -, passo a passo da realização, estudos e exemplos – no meio – e um resumo do projeto e os próximos passos – no fim.

Treine a venda da ideia, sugere Patrícia. “Simule a conversa, desta forma organizamos melhor os pensamentos e sequência de comunicação e lidamos melhor com as possíveis objeções”, explica.

Marie-Josette indica que sejam apresentadas no mínimo 3 maneiras de colocar a ideia em prática. De acordo com ela, outra estratégia é deixar um “espaço em branco”, ou seja, pontos de dúvida em que você possa pedir a ajuda do seu chefe para ele sentir- se parte da construção da ideia. “Assim você não chega como o dono do mundo”, explica.

Outra tática,é inserir um pequeno erro de propósito. “Para que ele possa apontar e corrigir porque na hora em que ele corrige significa que ele comprou a história”, diz Marie-Josette.

3º Passo Escolha o momento certo

Mapear se o momento é oportuno é a regra de ouro para não colocar tudo a perder, segundo Patrícia. A melhor solução, diz Marie-Josette, é prevenir o chefe de que você gostaria de conversar com ele para apresentar uma ideia.

4º Passo Sustente a ideia com recursos de influência

Assim que for recebido pelo chefe evite começar com frases de impacto como, por exemplo: “tive uma ideia genial” ou “tenho um projeto fantástico”.

“Gestores odeiam teatro, o melhor jeito é dizer que tem ideia que você acredita ser interessante para empresa”, diz Marie-Josette. Descreva, explique as vantagens e dê um quadro geral dos pontos que ainda precisam ser melhorados.

“É fundamental que, no momento de conversar, a ideia proposta seja sustentada por recursos de influência”, diz Patrícia. Ou seja: lance mão de argumentos – que mobilizam através de fatos- e use recursos persuasivos – aqueles que interferem na tomada de decisões por aspectos mais intangíveis. “A argumentação vai mostrar que a ideia faz sentido tecnicamente”, explica Patrícia.

Já a persuasão é mais sofisticada, diz a especialista. “Mostrar as preocupações em comum, os valores envolvidos, quais as pessoas que apoiam a ideia e quais os benefícios resultantes dela para as outras pessoas e para a empresa”, diz.

Tente ser o mais objetivo possível e dê espaço para ele pensar no assunto. “Nesse ponto você já fez tudo o que podia ser feito, agora é dar o tempo para ele refletir e propor uma próxima conversa para definir os rumos”, diz Marie-Josette.

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.