Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará

Por saúde mental, LinkedIn deu uma semana de folga a todos os funcionários

A empresa decidiu oferecer o período de descanso coletivo para evitar o burnout dos funcionários, que trabalham de casa há um ano


(Reprodução/Getty Images)

A rede social LinkedIn, comprada pela Microsoft em 2016, deu folga de uma semana (05/04 a 09/04) para todos os seus funcionários. A medida visa oferecer mais saúde mental aos trabalhadores da companhia e, também, evitar o burnout, como é conhecida a síndrome de cansaço extremo causada pelo excesso de trabalho.

A semana sem trabalho se aplicou a todos os cerca de 15,9 mil funcionários da companhia. No entanto, um time central da empresa continuou trabalhando para manter a operação funcionando e essas pessoas poderão agendar as folgas para outra semana.

Com a medida do LinkedIn, uma vez que a grande maioria não estava trabalhando, os funcionários não se depararam com uma infinidade de e-mails ao fim do período de descanso.

Folgas para evitar o burnout vêm se tornando mais comuns nas empresas de tecnologia. O Google deu um dia de folga para o “bem coletivo” em setembro, enquanto o Facebook permitiu que os funcionários tirassem a semana toda de folga em novembro, na semana do feriado tradicional americano de Ação de Graças.

O LinkedIn já preparou sua política para o retorno ao trabalho presencial, estabelecendo que os colaboradores poderão trabalhar de casa em 50% do tempo depois da pandemia, que levou ao home office obrigatório em todo o mundo.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.