Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Os 10 países do mundo onde o trabalho é mais feliz
Page/Post Excerpt

exame

O relatório da pesquisa Global Workforce Happiness Index realizada pela Universum traz um dado inusitado sobre a rotatividade profissional: em 2018 o número de profissionais que vão trocar de empregador no mundo terá um acréscimo de 49 milhões de pessoas na comparação com o ano de 2012. A rotatividade projetada é de 192 milhões de pessoas, o que torna retenção de talentos um assunto tão estratégico quanto urgente.

Neste cenário, o nível de felicidade dos profissionais é um importante termômetro para as empresas e para medi-lo a equipe da Universum criou um índice que leva em conta três aspectos: satisfação, disposição dos funcionários para recomendar o empregador atual e a probabilidade de mudança de emprego num futuro próximo. Participaram da pesquisa mais de 250 mil profissionais de 55 países. Desse cálculo partiram quatro possíveis classificações para o nível de felicidade de cada funcionário:

1. Encalhado: funcionário que está insatisfeito no trabalho mas desmotivado para trocar de emprego.

2. Inquieto: profissional satisfeito no trabalho e que até recomendaria o empregador atual, mas está aberto a novas oportunidades.

3. À procura de emprego: insatisfeito, com vontade de trocar de emprego e que não recomendaria o empregador.

4. Realizado: satisfeito, positivo em relação ao empregador atual e sem vontade de trocar de emprego agora.

Confira nas fotos os 10 países que mais têm profissionais dentro da classificação “realizado” e com os mais altos índices de felicidade:

[slider slider_height=”450″ image_resize=”false” image_crop=”true” flex_slider_effect=”slide” slider_timeout=”60″]
[slide title=”Bélgica” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2015/4/533673/size_810_16_9_praca_em_bruxelas_na_belgica.jpg” link=””]Índice de felicidade: 33,41
Mais de 30% dos profissionais não estão dispostos a mudar de emprego e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 6,5 e 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Noruega” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2014/11/518938/size_810_16_9_lofoten-noruega.jpg” link=””]Índice de felicidade: 32,32
Mais de 25% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 7 e 7,5, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Costa Rica” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2015/11/592474/size_810_16_9_costa-rica.jpg” link=””]Índice de felicidade: 31,98
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 7 e 7,5 na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Dinamarca” img_url=”http://assets0.exame.abril.com.br/assets/images/2012/10/71549/size_810_16_9_copenhagen.jpg” link=””]Índice de felicidade: 31,53
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está por volta de 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”África do Sul” img_url=”http://assets1.exame.abril.com.br/assets/images/2014/6/498757/size_810_16_9_6-cape-town_-south-africa-_.jpg” link=””]Índice de felicidade: 31,51
Cerca de 30% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está por volta de 6,5, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Áustria” img_url=”http://assets1.exame.abril.com.br/assets/images/2014/8/506875/size_810_16_9_viena-austria.jpg” link=””]Índice de felicidade: 30,4
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 6,5 e 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Suíça” img_url=”http://assets1.exame.abril.com.br/assets/images/2015/6/538938/size_810_16_9_suica.jpg” link=””]Índice de felicidade: 30,35
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está perto de 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Grécia” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2015/10/589774/size_810_16_9_grecia-atenas.jpg” link=””]Índice de felicidade: 30,31
Por volta de 25% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 6,5 e 7, na escala que vai de 4 a 8. O relatório da Universum destaca que economias em crise, como é o caso da Grécia, tendem a gerar menos oportunidades de carreira o que consequentemente acarreta mais lealdade dos profissionais aos empregadores atuais.[/slide]
[slide title=”República Tcheca” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2015/6/538943/size_810_16_9_praga.jpg” link=””]Índice de felicidade: 30
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 6,5 e 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[slide title=”Rússia” img_url=”http://assets2.exame.abril.com.br/assets/images/2015/6/539039/size_810_16_9_moscou-russia.jpg” link=””]Índice de felicidade: 29,93
Mais de 20% dos profissionais não querem mudar de emprego agora e o nível de satisfação e recomendação do empregador está entre 6,5 e 7, na escala que vai de 4 a 8.[/slide]
[/slider]

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.