Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará

Não há vagas. Estas profissões e cargos estão em baixa no Brasil


O cenário para o profissional brasileiro não é otimista: o país tem mais de 65 milhões de pessoas fora do mercado de trabalho porque desistiram de procurar emprego. Segundo o IBGE, o desemprego no trimestre até maio foi de 12,7%. E o Índice de Medo do Desemprego, medido pela CNI em junho, ficou acima da média histórica.

Seja pela redução de custos necessária à sustentabilidade dos negócios ou pela introdução de novas tecnologias, a demanda por alguns profissionais caiu em 2018, segundo consultorias de recrutamento. Os profissionais mais impactados são os das áreas de Marketing e Engenharia Civil.

O primeiro foi afetado principalmente pela migração das mídias tradicionais para as plataformas online. A função não desapareceu, mas passou por uma importante transformação. É o que destaca Raphael Falcão, diretor da HAYS.

Para ele, o processo, que antes era dividido entre várias pessoas, virou atribuição de apenas um profissional que deve gerir todo o processo.

“Não houve uma mudança dos cargos e profissões, mas uma readequação. O que exige, cada vez mais, conhecimento e especialização para atuar nas áreas, seguindo as tendências da tecnologia e digitalização”, explica ele.

Além da crise, os grandes projetos de infraestrutura foram afetados pela Operação Lava Jato. Desde 2015, as principais empreiteiras do setor perderam R$ 55 bilhões em faturamento, levando a cortes de custo e redução no quadro de funcionários.

Mesmo que a profissão tenha figurado no ranking de empregos formais de nível superior, isso não significa que o mercado esteja aquecido para os engenheiros. Nos quatro primeiros meses do ano, foram menos de 3 mil contratações. O que é um problema em comparação com os mais de 80 mil formados por ano, de acordo com dado de 2015 da Fapesp.

No segmento bancário, junto com o surgimento de aplicativos que digitalizaram os serviços, a diretora de operações da Produtive, Claudia Monari, aponta a influência das fusões e aquisições na baixa demanda. “O mesmo ocorreu, no início dos anos 2000, com as indústrias farmacêuticas, que passaram por muitas fusões e aquisições”, conta.

Confira a lista de cargos e profissões em baixa, resultado de pesquisa exclusiva de EXAME realizada com as consultorias Talenses, Stato, Produtive e Hays:

Advogado corporativo

O que faz: especialista em relações trabalhistas, licitações e contratos.

Por que está em baixa: a função está sendo substituída por empresas especialistas nesses assuntos, que, por sua vez, acabam ficando mais atualizadas nas leis, segundo a Produtive.

Profissional do segmento financeiro

O que faz: São profissionais de todas as áreas de bancos (RH, Marketing e Finanças).

Por que está em baixa: Por conta de fusões e aquisições e do investimento constante em tecnologia e digitalização dos processos, afirma diretora de operações da Produtive.

Profissional de agência bancária

O que faz: Interação com público e prestação de serviços dentro de agências bancárias físicas (caixas, suportes, gerentes de agência, etc.).

Por que está em baixa: Com tudo feito por aplicativos e o fechamento das agências físicas, a Stato observa que houve impacto em cargos desde o caixa até o gerente de contas.

Profissional de Marketing

O que faz: trabalha com ações voltadas à prospecção de produtos, serviços e clientes.

Por que está em baixa: o mercado tem pedido por profissionais de marketing, mas que também exerçam funções de vendas, segundo a Produtive.

“Com o rápido e intenso avanço de novas tecnologias, profissionais como marketing digital, e-commerce e business intelligence estão em alta, enquanto profissionais especializados em canais de comunicação tradicionais estão perdendo espaço”, explica Rebeca Mayan, gerente da divisão de Vendas e Marketing da Talenses.

Gerente de marketing em empresas B2C e B2B

O que faz: Planeja e gerencia as atividades relacionadas a marketing e comunicação

Por que está em baixa: As empresas têm terceirizado algumas dessas atividades ou passando as atribuições para a área comercial, de acordo com a Stato

Liderança em Compras

O que faz: Gestão de compradores.

Por que está em baixa: Hoje, essa função migrou para Supply Chain ou Manufatura. Segundo a Produtive, o máximo que o mercado pede é o especialista em Compras na posição de Comprador.

Gestão de Trade

O que faz: Cuida do produto nos Pontos de Vendas e analisa os indicadores de saída dos produtos.

Por que está em baixa: O mercado ainda demanda a posição de especialista, segundo a Produtive, mas a gestão foi migrada para o Head de Marketing.

Gestão de Pricing

O que faz: Levantamento da composição do produto e como lucrar com ele.

Por que está em baixa: Antes um braço da área de Marketing, a posição agora é acompanhada pela área comercial ou de operações, que, segundo a Produtive, absorveram as demandas por terem outras análises de suas áreas.

Engenheiro Civil

O que faz: Gestão geral de obras.

Por que está em baixa: De acordo com a Stato, nenhum projeto de infraestrutura está sendo aprovado, todas as obras principalmente ligadas ao governo estão paradas.

Engenheiro Naval

O que faz: Projeta e coordena a produção de embarcações e construção de plataformas marítimas e tubulações para petróleo. Também gerencia as operações marítimas.

Por que está em baixa: Segundo a Stato, o alto custo de obras de infraestrutura afetou a área que atua muito com projetos governamentais.

Gerente Industrial

O que faz: Gestão geral de fábricas.

Por que está em baixa: O setor industrial também foi muito afetado pela crise, principalmente o automotivo. De acordo com a Produtive, a abertura de novas posições na área foi afetada.

Relações Governamentais

O que faz: Planeja e controla informações geradas pelos diversos setores, para apoiar as empresas alcançar objetivos corporativos esperados.

Por que está em baixa: Segundo a Stato, a redução de custos afetou a área.

Arquiteto

O que faz: Projeta e idealiza espaços como residências, prédios, praças e outros.

Por que está em baixa: Redução de custos e falta de novos projetos, segundo a consultoria Stato.

Coordenador de Projetos

O que faz: Desenvolve e implanta projetos de layout em obras, assessora projetos de reformas.

Por que está em baixa: Segundo especialista da Stato, ainda não ha um panorama exato, mas há um desequilíbrio entre a demanda do profissional e a oferta de projetos. O volume de posições é baixo e os salários caíram também.

Planejamento Estratégico

O que faz: Orienta os negócios atuais e futuros. Também coordena produtos e serviços das empresas, com o objetivo de gerar lucratividade e crescimento.

Por que está em baixa: Segundo a Stato, o custo desse profissional é alto e a posição sofreu com a redução de custos.

Gerente de Facilities

O que faz: Administra contratos terceirizados de serviços de portaria, segurança, limpeza e conservação, jardinagem e manutenção predial. Também acompanha custos e despesas previstos em contratos.

Por que está em baixa: O cargo foi desmembrado para outras áreas, segundo especialista da Stato, como TI, financeiro e administrativo.

Diretor Comercial

O que é: Vendas de produtos com valores muito altos e ligados a infraestrutura, automotivo e grandes maquinários.

Por que está em baixa: Com os baixos investimentos na área de infraestrutura no Brasil, as vendas relacionadas estão em queda constante, de acordo com a Stato.

Gerente de Departamento Pessoal

O que faz: Cuida de todos os sistemas operacionais relacionados a pessoas dentro das empresas (folha de pagamento, ponto, benefícios, remuneração, etc.).

Por que está em baixa: Os processos de sua responsabilidade foram terceirizados. Segundo a Stato, quase todas as empresas hoje terceirizaram a folha de pagamento, por exemplo.

Gerente de Comércio Exterior

O que faz: É o profissional responsável por gerenciar processos de importação e exportação de acordo com a política da empresa.

Por que está em baixa: Segundo a Stato, a área sofreu com a falta de investimento, receio com o futuro incerto da economia e pouco giro de negócios.

Gerente de produção

O que faz: Responsável pelo gerenciamento de processos produtivos em empresas de manufatura.

Por que está em baixa: Os investimentos estão baixos na indústria, o que faz com que as vagas sejam congeladas ou então transformadas em posições mais baixas, como coordenador, os níveis tem de salário também tem baixado, explica a consultoria Stato.

Analista de Infraestrutura

O que faz: Profissional que assessora os servidores e data center.

Por que está em baixa: A infraestrutura física e tradicional está sendo substituída cada vez mais pela computação em nuvem. O gerente da divisão de Tecnologia da Informação da Talenses, Leandro Bittioli, aponta a importância do profissional de infraestrutura se atualizar com temas atuais.

Especialista de RH em treinamento e desenvolvimento

O que faz: Planeja o programa de treinamento e desenvolvimento organizacional para colaboradores.

Por que está em baixa: Devido à crise nos últimos anos e consequente descapitalização das empresas, a falta de investimento interno afetou a demanda pelo profissional, segundo o gerente da Talenses, Guilherme Malfi.

Especialista em M&A (dentro das empresas)

O que faz: Responsável por coordenar a operação de M&A dentro das empresas envolvidas no processo.

Por que está em baixa: No geral, esses profissionais costumam ser requisitados apenas em empresas multinacionais, para intermediar o contato com a sede da companhia no exterior. Segundo Felipe Brunieri, gerente da divisão de Finanças e Tributário da Talenses, em empresas nacionais, as fusões e aquisições costumam ser liderados pelo CFO e assessorados por bancos de investimentos, não há equipe interna.

Relações com investidores

O que faz: Faz a ponte da empresa com o mercado financeiro, seja para contatar investidores, bancos ou negociar M&As.

Por que está em baixa: A área teve menor demanda em decorrência da crise econômica. Segundo gerente da Talenses, a área se tornou mais enxuta ou foi absorvida por outras áreas;

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.