Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará

Metade dos desenvolvedores do Brasil não possuem ensino superior

Pesquisa inédita da Bain com o Google mostrou que 75% dos desenvolvedores estão há menos de cinco anos na área


Qual é o perfil do profissional de tecnologia do Brasil? Um levantamento inédito da consultoria Bain & Company com o Google estima que metade dos desenvolvedores mobile do Brasil não possuem ensino superior completo.

E 46% desses profissionais dedicam, em média, 4 horas programando como hobby. E a pesquisa mostrou que 75% dos desenvolvedores estão há menos de cinco anos na área.

Esses resultados mostram como os talentos do setor ainda não possuem muita experiência, ocupando mais cargos de iniciantes e juniores nas empresas. Esse grupo também entra no mercado por meio de cursos de programação online; além de terem comunidades e fóruns como grandes fontes de conhecimento.

A área é majoritariamente masculina, com apenas 26% das pessoas na pesquisa se identificando com o gênero feminino. E 60% da força de trabalho está abaixo dos 30 anos de idade.

Além disso, 65% se concentram na região Sudeste do país; 12% estão no Nordeste e 11%, no Sul.

Os dados também revelam o peso do sistema Android para o mercado de trabalho do setor no Brasil: 78% dos desenvolvedores começaram a carreira pela plataforma Android e o sistema operacional foi responsável por 66% do tempo total de programação no Brasil em 2019.

Segundo a pesquisa, são 630 mil empregos na cadeia de valor da plataforma Android, cerca de 35% dos trabalhadores de TI.

Como os profissionais de TI não estão buscando uma graduação para entrar na área, um dos principais recursos usados para uma inserção rápida no mercado é a formação em um bootcamp. Esse tipo de curso é, em geral, de curta duração, focado no mercado de trabalho e mistura as aulas teóricas com a prática de programação.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário