Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará

Feriado prolongado: por que empresas estão dando o novo benefício?

Após um ano de pandemia, empresas como o LinkedIn, Facebook e Dafiti estão dando folgas e feriados prolongados extras aos funcionários


(Davide Angelini / EyeEm /Getty Images)

Tem semanas de trabalho que um feriado prolongado cai como uma luva. Um dia a mais para respirar e quebrar a rotina da correria tem seus benefícios e, em meio a uma pandemia e a preocupação com uma equipe estafada, as empresas começaram a criar seus próprios feriados.

Em abril, o LinkedIn resolveu dar uma semana de folga para os funcionários no mundo todo. Segundo a rede social, a pausa geral foi motivada por uma necessidade de oferecer mais saúde mental e evitar o Burnout dos colaboradores.

Não é só no LinkedIn. Em pesquisa da Fundação Dom Cabral com a Grant Thornton sobre o home office em 2021, mais de 55% dos entrevistados concordaram totalmente ou parcialmente que estão mais cansados ou irritados do que em 2020.

Entre os maiores desafios para o trabalho remoto, 24% apontaram o volume maior de horas de trabalho.

Um comando para parar as máquinas promove um silêncio raro nas engrenagens do trabalho corporativo: não tem uma reunião com a equipe de fora, e-mail não lido, prazo de entrega ou mensagem pedindo para encaminhar um último relatório.

Segundo Alexandre Ullmann, diretor de Recursos Humanos do LinkedIn, o feedback da experiência foi muito positivo; além das pessoas voltarem mais dispostas e produtivas, a folga de uma semana permitiu uma desconexão total.

“As pessoas conseguiram descansar, sem se preocuparem nos projetos que estavam acontecendo ou nos e-mails que elas teriam que responder. Com todos os funcionários de folga por uma semana, foi possível realmente desconectar de tudo e recarregar as energias”, fala ele.

A dificuldade para desligar totalmente do serviço é um dos fatores que está adoecendo os trabalhadores. Para a psicóloga da TopMed Ingrid Cancela, há uma grande culpa dos funcionários em encerrar o horário de trabalho e descansar.

E a questão se complicou com o home office: sem ver as pessoas saindo do serviço, com o fácil acesso dentro de casa ao trabalho, fica mais difícil se desligar e limitar as horas do expediente.

“Eu acredito na coletividade para aplacar essa culpa. Quando existe um conjunto, a pessoa não sente medo que vai perder o emprego por não fazer hora extra ou tirar uma folga. Todos nós precisamos de pausas e se a empresa promove coletivamente essa causa pelo bem-estar, o indivíduo entre que não está sozinho”, fala Cancela.

Como funciona o feriado corporativo

No Facebook, os funcionários em todo o mundo, incluindo o Brasil, receberam três feriados corporativos em 2021: 8 de maio, 2 de julho e 3 de setembro. Nesses dias, a empresa não funciona e não há razão para qualquer pessoa mandar uma mensagem ou e-mail.

O primeiro teste aconteceu na semana de Ação de Graças nos Estados Unidos, celebrada em novembro no país, e que conferiu três dias de descanso remunerado a todos os funcionários.

Na Intuit QuickBooks, fintech que desenvolve sistemas de gestão para PMEs e escritórios de contabilidade, a empresa também parou a operação em novembro como um teste para remediar o cansaço da pandemia.

Com o primeiro sucesso, eles deram o próximo passo: parar por uma semana em dezembro globalmente.

“E não caiu o mundo. Os resultados foram excelentes e não tivemos nenhum impacto negativo com clientes ou financeiro. Só o benefício das pessoas voltando com mais energia em janeiro, com emoções mais equilibradas, já mostrou um aumento de produtividade”, conta Flávia Molina, head de RH da Intuit no Brasil e no México.

A empresa agora vai estruturar três pausas gerais para dar esse “respiro” aos funcionários em épocas que não prejudicam as vendas do software ou o atendimento aos clientes. Eles vão parar uma semana em julho, no feriado americano de Ação de Graças em novembro e mais uma semana em dezembro.

Segundo Molina, é muito importante ter o respaldo das lideranças para que o período de descanso seja respeitado. “Temos uma cultura muito forte aqui e esperamos que os líderes sejam exemplo”, explica ela.

Nas pesquisas de clima, 98% dos funcionários relataram uma experiência positiva com os dias de recarga. Cada funcionário também recebeu 4 dias livres de folga que podem tirar sem justificar a ausência.

Mais folgas e flexibilidade

Até uma pausa mais curta pode ser benéfica para administrar os níveis de estresse no trabalho. Na SAP, os funcionários tiveram um dia de folga em abril. O dia de descanso remunerado criou uma pausa na rotina de empresa globalmente e serviu como uma abertura para promover a importância de cuidados com a saúde mental e física.

Já no Dafiti Group, o DFT Pause é o novo programa do pacote de benefícios para as equipes no Brasil, Argentina, Chile e Colômbia. A cada dois meses, os profissionais poderão tirar um dia de folga; e todo mês a empresa terá uma sexta-feira curta.

Como a operação do e-commerce não pode parar, eles encontraram uma solução mais flexível para dar um tempo de descanso a todos. No último ano, mesmo com uma boa adaptação ao home office, o equilíbrio entre vida pessoal e trabalho foi o que mais teve queda nas pesquisas de clima.

“Nós vimos um aumento da fadiga e do cansaço, não apenas do trabalho remoto, mas da pandemia, de estar fechado e da mudança na forma de se relacionar”, conta a Eduarda Perovano, Chief People & Culture Officer.

Para ela, a produtividade será apenas uma consequência do aumento de bem-estar dos funcionários.

Outras formas de descanso incentivados na empresa para manter o equilíbrio:

Tempo de adaptação: a Intuit treinou líderes para serem empáticos com demandas em casa durante o home office e ofereceu 10 dias adicionais de folga para quem precisou cuidar de familiares, filhos ou se adequar de outra forma para o trabalho remoto
Sem reuniões: as empresas procuraram limitar as reuniões com bloqueios de dias na semana sem reunião ou com horas determinadas para marcar compromissos na agenda
Agenda bloqueada: para ter a sexta-feira mais curta, a agenda de todos na Dafiti foi bloqueada para evitar compromissos externos e eventos após as 13h nos dias de meio período

Benefícios das pausas

Tal Ben-Shahar, especialista de Harvard sobre Ciência da Felicidade, costuma fazer um paralelo entre o estresse e a musculação na academia.

“O estresse nos deixa mais fortes, mais resilientes e melhores em resolver problemas no cotidiano. Quando você faz musculação, você coloca estresse no seu músculo, certo? Se dia após dia você trabalha um pouco e vai aumentando o peso, aos poucos você fica mais forte. Agora, se você puxar peso demais, não descansar e tentar puxar cada vez mais, você vai se lesionar”, explicou ele em palestra no Brasil em 2018.

O período de descanso é essencial para dar um “reset” no estresse e criar essa força extra, a resiliência. É o tempo de recuperação para o nosso cérebro, que pode ser mais longo, como o período de férias, ou tão breve quanto cinco minutos de pausa para tomar um café.

A pesquisa exclusiva do Laboratório de Fatores Humanos da Microsoft descobriu pequenas pausas, de 5 a 10 minutos, entre reuniões junto a atividades de meditação ajudaram a reduzir o estresse de meia hora de trabalho.

“Costumo chamar as pausas de ‘colocar a cabeça para fora d’água’. Existem tipos diferentes de cansaço, e um deles é o criativo. Quando você não consegue mais pensar em soluções, esquece palavras ou não consegue escrever, é um sinal que você deveria parar, se levantar, fazer uma caminhada ou escutar uma música”, comenta a psicóloga da TopMed.

Segundo Cancela, saber respeitar o tempo de pausa, seja ela curta, média ou longa, ajuda a aumentar o bem-estar, encontrar motivação e manter o equilíbrio emocional.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.