Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará

Esta habilidade será uma vantagem no mercado de trabalho com robôs

Quando todas empresas usarem chatbots no atendimento, o que se tornará um diferencial? Especialista responde


Pesquisas recentes da PWC, revelam sobre as tendências de Marketing para 2020, e quem não souber criar conexões irá perder valor no mercado de trabalho.

Os estudos revelaram que há um grande perigo por trás das automações, como os chat bots – elas não fidelizam os clientes como se imaginava!

O consumidor quer um atendimento rápido, personalizado e eficaz e os softwares de Inteligência Artificial têm tudo para oferecer uma boa experiência. Ou quase tudo! Os pesquisadores constataram que o público espera tudo isso, mas não quer perder a conexão humana com a empresa qual está interagindo.

Agora a tecnologia, ainda, é uma novidade em alguns setores, mas, em breve, será um modelo de atendimento em massa e o que antes seria um diferencial, depois irá se tornar apenas mais um atendimento via chat bot. Ou seja, além da qualidade do produto ou serviço, o que irá diferenciar as empresas uma das outras é o poder de conexão que elas geram no público – a conexão humana por trás do atendimento.

E dentro das empresas ocorre uma situação parecida, porém a responsabilidade não é da tecnologia, mas, ainda, das pessoas. No relatório Agents of change: Earning your licence to operate – PwC’s Global NextGen Survey 2019, 46% dos profissionais entrevistados se identificam como agentes de mudança no mercado de trabalho e na sociedade, mas apenas 8% se identificam com seus gestores pois não se sentem escutados dentro da empresa, tendo sua criatividade e poder de ação limitadas.

Somos humanos e a nossa natureza é nos relacionarmos. Sendo assim, a capacidade de se gerar conexão se tornou uma das habilidades do futuro.

Gerar conexão é construir memória afetiva positiva nas relações. É quando lembram de você como pessoa, ou do seu atendimento profissional, com uma boa sensação e com estímulo suficiente para desejarem repetir a experiência.

Como você percebe essa habilidade em você? E ainda mais importante, como os outros a percebem?

Faça uma pesquisa. Encontre um momento apropriado, que estejam apenas vocês em uma sala fechada, e investigue com os seus colegas de trabalho e gestores, sobre como eles enxergam a sua capacidade de se relacionar. Você é agradável? Costuma colaborar com outras pessoas? Apresenta uma postura confiável? Sabe falar bem, com segurança ? As pessoas se sentem confortáveis na sua presença? Você sabe escutar, de verdade? Como você reage à críticas ou aos desafios em uma conversa?

Conexão vem através da confiança, do respeito, da sensação de ser escutado. Aquele que sabe gerar conexão não deve ser um manipulador de pessoas e suas emoções, mas na verdade, um exímio cuidador de pessoas, honrando cada uma.

Com os resultados em mãos, identifique o que precisa ser melhor desenvolvido. Caso você seja tímido demais, por exemplo, você pode procurar um curso de oratória e até de teatro. Se a situação é que você é visto como alguém intolerante e sem paciência, está na hora de cuidar da sua alegria e da sua saúde mental com mais práticas de autocuidado e psicoterapia.

Por Sofia Esteves, presidente do conselho do grupo Cia. de Talentos

Notícias relacionadas

Deixe um comentário