Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
Atendente ganha processo por ter só 5 minutos por dia para ir ao banheiro
Page/Post Excerpt


Uma empresa de call center que presta serviços para a operadora Claro foi condenada a pagar R$ 3.000 de indenização a um atendente que só tinha cinco minutos por dia para ir ao banheiro. O atendente trabalhou para a AeC Centro de Contatos S.A. de janeiro a dezembro de 2015.

A decisão é da Primeira Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN). Apesar de manter a condenação por danos morais imposta pela 3ª Vara do Trabalho de Mossoró (RN), em primeira instância, o TRT-RN reduziu o valor da indenização: de R$ 5.000 para R$ 3.000.

‘Dignidade aviltada’

Segundo o relator do processo, o desembargador Rego Júnior, o tempo de uso do banheiro era controlado para garantir o cumprimento de metas, causando uma pressão excessiva sobre os atendentes.

Além disso, os funcionários que descumprissem esse limite de horário para usar o banheiro eram advertidos, constatou o relator, após analisar depoimentos de testemunhas.

“Assim, restou evidenciado que o autor [funcionário] teve sua dignidade aviltada [desonrada] pelo empregador durante o período contratual”, diz a decisão.

Claro pode ter que pagar

Caso a AeC não possa arcar com a indenização, a responsável pelo pagamento passa a ser a Claro, que contratou a empresa para prestar serviços de call center, de acordo com o TRT-RN.

Em nota, a AeC informou que vai recorrer, pois “não existe restrição ou limitação de tempo quanto às pausas para todos os fins”. Procurada, a Claro disse que não comenta decisões judiciais.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.