Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
4 modismos da língua portuguesa que é melhor evitar
Page/Post Excerpt

exame

Descriminalizar ou descriminar? Saiba que descriminalizar é um puro neologismo, invenção, que vem se tornando moda. Prefira a forma “descriminar”, que significa “deixar de ser crime”. Vejamos um exemplo:

No conhecido Enem, já houve a discussão sobre a descriminação do uso da maconha.

Vale também lembrar que a palavra “discriminar” significa “diferenciar, distinguir, discernir”:

Era quase impossível discriminar os caracteres no velho manuscrito.

Ainda sobre termos da “moda”, destacamos o verbo “disponibilizar”, já até dicionarizado. A quem não gosta do termo, basta o uso de “disponível, disponíveis”:

As verbas já estão disponíveis.

Mais um verbo para a lista: “elencar”. É um modismo puro, o qual procuramos evitar, já que existem “enumerar” ou “listar”.

Dentre os mais recentes modismos que venho observando, um é extravagante, bizarro, horrível – o uso de “enquanto” no sentido de “na função de” ou “sob o aspecto de”:

Ele, enquanto presidente-interino, deve assumir todos os riscos da Economia.

A palavra “enquanto” indica tempo simultâneo e exige correlação de tempo verbal. Vamos a um caso coerente:

A inflação cresceu enquanto a renda dos assalariados caiu.

Sendo assim, evite a falta de correlação dos tempos verbais:

“Enquanto o presidente fala, as pessoas contestaram a proposta.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.