Av. Senador Lemos, Umarizal, Belém/Pará
4 formas de lidar com um chefe menos maduro que você
Page/Post Excerpt

exame

Para ser promovido a chefe, um profissional deve ter atingido um determinado nível de maturidade, sensatez e equilíbrio. Em tese.

Na prática, o ritmo frenético das mudanças no mundo corporativo encurta a duração dos ciclos de ascensão hierárquica, e tem levado muitas pessoas inexperientes ao comando, diz Rubens Pimentel, sócio da Ynner Treinamentos.

Resultado: cada vez mais equipes têm se queixado da falta de traquejo ou mesmo de maturidade dos seus líderes. “É um problema que está crescendo no mundo corporativo, e exigirá muito jogo de cintura de todos daqui para frente”, afirma Pimentel.

Os sinais de despreparo do chefe podem variar, mas costumam girar em torno de alguns eixos principais.

O primeiro é a insegurança. Para o consultor de carreira Eduardo Ferraz, essa é a fragilidade por trás de gestores que sempre querem dar “a palavra final” em conversas com a equipe, ou que teimam em discutir por causa de detalhes insignificantes — tudo pela mera oportunidade de exercer poder sobre os demais.

O segundo é a arrogância. “Chefes imaturos muitas vezes se consideram infalíveis, e precisam mostrar isso o tempo todo”, afirma Pimentel. “Para isso, eles rivalizam e competem com a própria equipe, escondem subordinados talentosos e não reconhecem quando estão errados”.

O especialista observa que nenhuma dessas atitudes está necessariamente vinculada à idade do gestor. Embora líderes jovens e inexperientes sejam os mais suscetíveis a esse tipo de armadilha, o comportamento também pode aparecer em quem já acumula muitos cabelos brancos.

“Esse é o pior dos casos, quando a imaturidade não é falta de “quilômetros rodados”, mas sim um traço da personalidade do chefe”, diz Ferraz. “Se o seu líder continua infantil apesar da idade, infelizmente há pouco a fazer”.

Mas como lidar com essas atitudes quando ainda há remédio? Os especialistas ouvidos por EXAME.com sugerem algumas respostas. Confira a seguir:

1. Tente desarmá-lo

Por trás de certos comportamentos inseguros do chefe costuma haver uma boa dose de medo da própria equipe. O segredo, portanto, é quebrar essas resistências e tentar se aproximar o máximo possível dele, recomenda Pimentel.

“Ofereça apoio, comemore vitórias junto, crie uma relação de confiança”, diz o especialista. “Quando você garante que não é uma ameaça para ele, tem a chance de elevar o nível da conversa e ajudá-lo a se desenvolver enquanto líder”.

2. Aproveite o que há de positivo

Chefes imaturos podem trazer muito estresse e frustração para o dia a dia. Apesar disso, é mais produtivo substituir o mau humor e as críticas por um olhar mais humano frente às fragilidades dele — que também enxergue as suas forças e qualidades.

“O líder chegou ao cargo por uma razão, isto é, alguma competência ou talento especial ele é capaz de ensinar”, afirma Pimentel. Em vez de se fechar para ele em reação às suas inadequações, vale mais tentar extrair o que há de bom e descobrir como ele pode contribuir para o seu desenvolvimento.

3. Registre fatos concretos e dê feedback

Outra saída, mais ativa, é chamar o chefe para uma conversa. “Tente chamá-lo para uma conversa privada, de preferência fora do escritório, e fale sobre o que está acontecendo”, diz Ferraz. É importante trazer fatos, e não opiniões: em vez de discorrer sobre as suas impressões a respeito do comportamento dele, é melhor mencionar acontecimentos.

Quanto mais próxima for a sua relação com ele, mais chances de sucesso terá a conversa. O ideal é fazer observações positivas e negativas, de forma delicada mas assertiva. Evitar um tom acusatório e estar aberto para a escuta são outras regras de ouro para um feedback bem-sucedido.

4. Tenha paciência e busque autonomia

Já esgotou todas as alternativas e a postura do seu chefe continua comprometendo o seu desenvolvimento? Pode ser inevitável tomar uma atitude mais drástica, como buscar a ajuda do setor de RH ou até procurar outro emprego.

Em alguns casos, porém, é mais estratégico esperar. “Busque exercitar a sua resiliência e tire o foco do conflito”, orienta Pimentel. “O segredo para crescer profissionalmente apesar do despreparo do seu chefe é manter uma atitude positiva e se concentrar somente na sua entrega”.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através de seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.